Paranoiaguda - Brasil e o Mundo - Com direito a crachá com foto, cachorro é adotado por empresa
Mark. Esse é o nome do funcionário mais querido de uma empresa de cerâmica de Criciúma, no Sul catarinense. O empregado de quatro patas é um vira-latas de 11 meses adotado pela companhia. Com direito a crachá com foto, Mark torna mais felizes os dias de trabalho dos colegas.

Eu vi presidentes de multinacionais rolando no chão com o Mark"
- Paulo  Gava

Em setembro do ano passado, depois de ler uma reportagem sobre a presença de animais em ambientes de trabalho, o presidente da empresa solicitou a compra de um cachorro.

"Ele me procurou porque sabe que sou voluntária em uma ONG de animais, mas eu disse a ele que não compraria. Daí fui atrás de algum pra adotar. Quando encontrei o Mark, soube que seria perfeito para a empresa", conta a secretária da diretoria, Nilda Rosso.

O cão foi encontrado por voluntários da ONG abandonado quando tinha apenas alguns dias, próximo à Forquilinha. Agora, os funcionários querem estabelecer uma data de aniversário, já que o bichinho deve completar um ano de idade em setembro.

Acesso livre

Com crachá, o animal tem seu próprio espaço, localizado no setor de desenvolvimento de produto, mas tem livre acesso a todos os ambientes da empresa.

"Muitas vezes vem gente aqui pegar ele e levar pra outro setor. Ele está sempre passeando, gosta muito dos puffs", conta o gerente de produto, Paulo Roberto Gava.

Rodízio

À noite, Mark fica na empresa, em um espaço reduzido, com área externa e casinha em um ambiente fechado. Nos finais de semana, os funcionários fazem um rodízio para levar o bichinho para casa.

As refeições são dadas pelos próprios funcionários através de uma tabela pré-estabelecida. O primeiro a chegar, sempre deve alimentar e abastecer a água do Mark.

Paranoiaguda - Brasil e o Mundo - Com direito a crachá com foto, cachorro é adotado por empresa

Ambiente mais feliz

"Eu vi presidentes de multinacionais rolando no chão com o Mark", conta Gava. Depois da chegada do bichinho, o gerente acredita que o ambiente de trabalho se tornou mais leve.

"Nós temos vários momentos de tensão aqui, como qualquer outra empresa, e a presença do Mark, muitas vezes, ameniza isso, propicia uma respiração".

O cachorro foi adestrado e apenas interage com pessoas que se diregem a ele num primeiro momento. "Ele só traz alegria, amor e muita paz para o nosso local de trabalho. Todos aqui cuidam e dão muito carinho a ele, é como se fosse um filho", finaliza Nilda.